10/06/2016

[Resenha] A Rebelde do Deserto – Alwyn Hamilton

Oiii Amores!

Sabe quando você lê a sinopse de um livro e pensa logo “Quero!”? Foi assim que caí de amores por A Rebelde do Deserto. Os livros de aventura que envolvem “lugares distantes, duelos de espadas, feitiços, um príncipe disfarçado” (sim… é assim que a Bela descreve seu livro preferido. #somosTodasBela) são os meus prediletos. Só que aqui não tem duelos de espada, aqui as coisas se resolvem no tiro mesmo.

Vamos comigo conhecer um pouco do deserto povoado por criaturas mágicas que é Miraji. Ah, mas não esqueça de colocar o seu sheema!

A rebelde do deserto 2

Apaixonada pela capa.

Sinopse:

O deserto de Miraji é governado por mortais, mas criaturas míticas rondam as áreas mais selvagens e remotas, e há boatos de que, em algum lugar, os djinnis ainda praticam magia. De toda maneira, para os humanos o deserto é um lugar impiedoso, principalmente se você é pobre, órfão ou mulher. 
Amani Al’Hiza é as três coisas. Apesar de ser uma atiradora talentosa, dona de uma mira perfeita, ela não consegue escapar da Vila da Poeira, uma cidadezinha isolada que lhe oferece como futuro um casamento forçado e a vida submissa que virá depois dele. 
Para Amani, ir embora dali é mais do que um desejo — é uma necessidade. Mas ela nunca imaginou que fugiria galopando num cavalo mágico com o exército do sultão na sua cola, nem que um forasteiro misterioso seria responsável por revelar a ela o deserto que ela achava que conhecia e uma força que ela nem imaginava possuir.

Vamos para o deserto, para o distante povoado de Vila da Poeira. Aqui somos apresentados aos mais diversos tipos de seres sobrenaturais. A magia antiga da areia ainda corre por aqui, onde existem carniçais, djinnis, buraqis e rocs. Nesse vilarejo, no fim do mundo, vamos conhecer Amani, uma menina que sonha em sair dali desde que era pequena.

Amani é um daqueles personagens pelos quais a gente se apaixona de imediato e torce com todas as forças por ele. Nossa heroína carrega consigo uma grande dor devido a perda da mãe, mas parece que isso só a tornou mais decidida e corajosa. Ela tem um único objetivo na vida, fujir da Vila da Poeira para morar em um lugar melhor, e esse lugar se chama Izman.

Todos sabiam as histórias. Djinnis se apaixonavam por princesas e concediam todos os seus desejos. Garotas bonitas atraíam pesadelos direto para as lâminas dos homens. Filhas corajosas de mercadores capturavam buraqis e os cavalgavam até os confins do planeta.

Temos que ter em mente também que em Miraji, as mulheres não tem voz. Então para uma menina pobre e órfã como Amina é quase impensável a vontade de buscar uma vida melhor. Ela é vista como mercadoria de troca ou como potencial esposa, e só. Porém, para nossa alegria, Amani não se deixa abalar por isso, ela é uma garota do deserto!

Uma nova alvorada. Um novo deserto.

Então, como para Amani atirar é tão natural quanto respirar, já que fez isso praticamente a vida toda, (sim, ela é simplesmente excelente), ela decide participar de um campeonato de tiro em um lugar chamado Tiroteio (sério, eu amo esses nomes!). Lá ela conhece Jin, um forasteiro misterioso. Claro que depois desse encontro a vida dos dois nunca mais será a mesma.

A Rebelde Deserto 3

Jin não conta muito de sua vida e, após ambos conseguirem fujir de um incêndio, eles acabam se separando. Eu também gostei de Jin de cara. Ele é espirituoso e parece ser um cara muito legal, então acabei caindo de amores por ele. #blogueiraFacinha Após o tal incêndio, tanto Amani quanto Jin estão na mira do exército do sultão. E como Amani agora precisa mais do que nunca fujir de Vila da Poeira, ela vê em Jin a oportunidade que tanto procurava.

Eu era uma garota do deserto. Achei que soubesse o que era calor.

Estava enganada.

Pessoas, a história é tão fascinante que eu perdi a noção do tempo durante a leitura. Senti-me transportada para Miraji e envolvida pela magia desse lugar. Uma outra característica da história que eu achei o máximo foi a forma como a autora nos apresenta os elementos extraordinários do livro. Tipo, ela simplesmente nos diz que Amani usa um sheema. Mas o que é um sheema? Boa pergunta… rsrs Claro que durante a leitura vamos tendo uma ideia do que é esse tal sheema, mas é isso que torna a narrativa incrível.

Por uma fração de segundo, eu estava voando.

E então trilhos reluziram na minha visão periférica, perdendo por pouco a oportunidade de conhecer meu crânio mais de perto. Já minhas costelas e o chão não foram tão tímidos.

Os livros que nos levam para lugares extraordinários e cheios de magia como Miraji, Terra do Nunca e o Pais das Maravilhas, por exemplo, são as que eu mais amo ler. Achei a narração em si uma delicia também. A história é contada sob o ponto de vista de Amani, mas como ela é uma fofa, o livro se tornou muito mais legal. Nada de mocinhas enjoadas aqui. VIVA! Mais um motivo para eu super indicar a leitura.

Sabe que também estou viciada nesse mimo que a editora Seguinte dá aos seus leitores? #amoMarcadores Já abro o livro atrás do marcador de páginas na parte de trás da capa. Como não cair de amores?

A rebelde do deserto 1

A Rebelde do Deserto é o livro 1 da série de mesmo nome, da autora Alwin Hamilton. Esse livro lindo foi uma cortesia da editora Seguinte aqui para o Livros e Laços. Que a gente amou, é claro.

A Rebelde do Deserto

A Rebelde do Deserto, livro 1

Alwin Hamilton

Editora Seguinte

Classificação: ★★★★★ (5)

Ficou com vontade de conhecer a Vila da Poeira também? Tem A Rebelde do Deserto em promoção aqui:

Livraria da Travessa  Livraria Cultura
Livraria da Folha Submarino

 

Agora, vamos fazer uma blogueira feliz deixando um comentário aqui em baixo?! Amo muito falar com vocês, amores.

Bjos 1000!

 

Jaque

Jaque

Carioca, casada e apaixonada por livros. Lê de tudo, mas prefere romances.Totalmente Disney Freak, ama tudo que a Disney produz. O apertamento onde mora quase não comporta o tamanho do amor pelos livros (agora compra mais e-books), até porque, metade de mim ama ler e a outra metade está ali com um livro na mão.

"...as lost as Alice as mad as the Hatter"
Jaque

4 Comentários

Deixe um Comentário