11/12/2015

[Resenha] Ligeiramente Casados – Mary Balogh

Oi gente!!!

Quanto tempo!!! É a Lu falando aqui. Vamos lá mais uma resenha… YEAH!! Juro que tentei escrever sobre algo novo mas, continuo presa aos Bedwyns… rsrsrs. Sorry! Ok, confesso que sou apaixonada por eles (#culpada)….rsrsrs. Chega de enrolação e mãos à obra!

Ligeiramente Casados é o livro 1 da série Os Bedwyns. Ela é composta por seis livros, um para cada irmão. Nos meus  dois primeiros posts aqui no blog falei sobre dois novels, Um Verão Inesquecível (olha a resenha AQUI) e Uma Noite de Amor (a resenha dele está AQUI), que tinham a coparticipação dessa família, entretanto, não narram diretamente a história de amor dos membros dela. De todos os novels da série, falta eu resenhar apenas um, The Proposal, ainda sem título em português. Mas assim que possível a resenha dele estará aqui no blog.

Mary Balogh começa a narrar a história dessa família com um romance que vai se desenrolando aos poucos, página por página, não começa de forma arrebatadora ou calorosa como alguns romances. No início existe uma certa cortesia entre o casal, um medo de ultrapassar alguma barreira ou causar certo desconforto, maior do que já existe.

ligeiramente casados

Sinopse:

À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse – “Custe o que custar!”. 
Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum.
Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela… a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele – o que acontecerá em quatro dias.
Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar.
Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados…
Neste primeiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos apresenta à família que conhece o luxo e o poder tão bem quanto a paixão e a ousadia. São três irmãos e três irmãs que, em busca do amor, beiram o escândalo – e seduzem a cada página.

Ao fazer a promessa ao capitão Morris, Aidan nem desconfiava que sua vida, até então bem definida, sofreria uma reviravolta daquelas. Nesse mesmo contexto, Eve nunca esperaria por esse desfecho. Os dois foram levados a tomar decisões baseadas em promessas feitas por ambos. Eve jurara proteger todos que estão sob seu teto, pessoas abandonadas, julgadas e condenadas pela sociedade, pessoas que Aidan chama no início da trama de “incapazes”.

– Mas isso existe mesmo, Aidan? O felizes para sempre, quero dizer?

Com a morte de seu irmão anunciada pelo lorde Bedwyn, Eve se vê perdida e sem expectativas de resolver o problema que se revela. A propriedade que serve de lar para ela e seus protegidos era de seu pai, que ao morrer deixou de herança para ela mas, com uma condição: ela teria que se casar antes do aniversário de morte de um ano dele, o que deverá acontecer em poucos dias. Sem o casamento, Eve perde o Solar Ringwood para seu irmão Percival Morris, que foi morto em batalha e é o motivo que leva lorde Aidan Bedwyn a conhecer a jovem. Eve tinha um acordo com seu finado irmão, após o aniversário de morte do pai, o irmão herdaria o solar, mas deixaria ele para Eve continuar morando e administrando como tem feito durante o último ano ele seguiria com o exército. Até então tudo bem. Mas, como ele faleceu antes do prazo, o solar passará para um primo de Eve, um sujeito arrogante, cruel, interesseiro e sem escrúpulos chamdo Cecil Morris que é definitivamente um mau caráter.

Quando Aidan descobre isso, as palavras do capitão Morris vêm à tona em sua cabeça ” Prometa que irá protege-la. Prometa! Custe o que custar!” Sendo assim, a única alternativa que ele encontra é casar-se com ela, e assim protegê-la. Mas ele duvida se ela irá aceitar ou não o matrimônio, proposto desse jeito, sob essas circunstâncias. Ainda mais porque Eve sempre deixou transparecer ser uma mulher independente e capaz de cuidar de si mesma e dos outros, sem a necessidade de uma proteção masculina.

– O senhor não me deve nada, coronel – disse ela. – Nem sequer me conhece.

– Mas sei que sou responsável pela senhorita – retrucou ele. Jamais deixei de cumprir minha palavra e não farei isso agora.

– Eu o libero. – disse Eve.

Então o lorde parte para o solar e pega Eve desprevenida, propõem matrimônio a ela, dizendo ser a única alternativa no momento. Os dois saem ganhando, comenta ele. Ele cumpre a promessa feita a um moribundo ao qual devia um favor, ou melhor sua vida. Ela salvará não só o solar, seu lar por direito, mas também as pessoas queridas e protegidas por ela.

Quando comecei a ler esse livro pensei que seria mais um romance explosivo, erótico e sensual como muitas histórias de época. Entretanto, logo fui surpreendida pela cordialidade excessiva entre o casal. Eles não tinham tato um com outro, sempre com receio de invadir o território proibido e causar inconvenientes irreversíveis para ambos. Sinceramente comecei a achar que seria uma história sem sal, sem graça. Mas….

Ele ficara tempo demais… se apaixonara por Eve, e agora tinha que partir.

Ele arriscaria a própria honra?, perguntou-se. Ousaria agarrar a felicidade?

Mas o que eles não perceberam era que o que imaginaram que seria apenas uma semana, iria se tornar semanas, meses até. Sempre existia um adiamento para a separação deles. O trato inicial era que eles se casariam, o coronel Aidan Bedwyn iria passar o resto da sua licença especial do exército com a sua família sem nem sequer comunicar a eles que ele agora já não era mais solteiro, e a jovem recém senhora Bedwyn voltaria para o solar, que seria seu definitivamente. A ideia era um esquecer do outro, cada um retornaria para sua vida sem que nada tivesse acontecido.

Ligeiramente Casados

Mas as coisas foram tomando outro rumo, sempre existia um adiamento para a partida. E eles cada dia foram tornando-se mais próximos, mais íntimos. Foi aí que percebi que seria uma história legal. Porque sempre que estava prestes a partir, o lorde Bedwyn sempre tinha algo para adiar a sua ida, ele estava se apaixonando por ela. E ela por outro lado sempre ficava aflita quando chegava próximo dele partir.

Aha! Os dois foram se apaixonando assim, devagar, sem pressa…

No início era apenas conveniência, mas eles acabaram se rendendo a uma ardente paixão.

Bom… gostei da história. Não começou de um jeito ardente pelo qual eu esperava, mas me cativou a continuar lendo até o final. Até porque eu nunca deixo um livro sem terminá-lo…rsrsrs. Eve e  Aidan tiveram um início lento, cordial demais. Até que o amor foi chegando de mansinho, e o que era apenas respeito, cordialidade foi se tornando desejo, atração e por fim o amor foi sendo construído, tomando forma e se tornando forte. E no final….

Espero que gostem da história assim como eu. Até a próxima, gente!

Ligeiramente Casados

Os Bedwyns, livro 1

Mary Balogh

Editora Arqueiro

 Classificação: ★★★☆☆ (3)

Achou legal? Tem a venda aqui:

Livraria da Travessa  Livraria Cultura
Livraria da Folha Submarino
Luciana

Luciana

Carioca, farmacêutica por obra do destino, louca por chocolate, café, BSB, canetas (confesso que tenho uma compulsão por elas) e apaixonada por livros. Devido a falta de tempo livre para me dedicar a leitura, em especial aos romances, por conta do trabalho, da pós-graduação e do inglês, tornei-me uma leitora de metrô assumida.
Luciana

4 Comentários

  1. hanedantas says:

    dos três q já lançou foi o q eu mais gostei! eu estou ansiosa pra qdo lançar o do duque ! pq pense num homem misterioso viu?

    • Luciana
      Luciana says:

      Eu também lindinha estou ansiosa!! Ele é muuuiiitooo misterioso… Tem todo aquele ar de “Todo Poderoso” … E sinceramente tomara que seja um amor daqueles para deixar o homem de quatro logo de cara!!! rsrsrsrsr \o/\o/\o/

  2. Mah says:

    eu li alguns dos livros dessa coleção, gostei demais desse, a ponto de ficar me roendo de tanto torcer por eles. ótimo livro.

Deixe um Comentário